Navigation – Plan du site

Normas de Publicação

Princípios gerais

  1. A revista Ler História aceita, em permanência, a submissão de propostas de artigos e outros materiais no domínio científico da História, relativos a qualquer tema, período ou área geográfica. Será dada prioridade a trabalhos relacionados com a história moderna e contemporânea de Portugal, do império português e dos países lusófonos, bem como à discussão de temas historiográficos.

  2. Todas as contribuições devem ser originais, inéditas, e não estarem em processo de avaliação noutras revistas no momento de submissão e durante o período de avaliação.

  3. A Ler História publica em Português, Inglês, Espanhol e Francês, segundo o princípio de cada autor escrever na sua língua materna, ou em Inglês nos restantes casos. A norma ortográfica da língua utilizada fica ao critério dos autores.

  4. As propostas devem ser submetidas através de um ficheiro-modelo pré-formatado (descarregar aqui), enviado para ler.historia@iscte-iul.pt.

  5. Todas as propostas de artigos são submetidas a uma avaliação preliminar de qualidade e relevância por parte do Conselho de Redacção e, caso passem essa fase, são enviadas para avaliação externa por, no mínimo, dois avaliadores independentes, em regime de duplo anonimato de autores e avaliadores. Compete ao Conselho de Redacção, em face dos pareceres recolhidos e da sua própria avaliação, aceitar, recusar ou aceitar com alterações as propostas submetidas.

  6. Os autores são pessoalmente responsáveis pela utilização de imagens, pela obtenção de licença de publicação, se necessária, e pela salvaguarda dos respectivos direitos.

  7. Ao aceitarem publicar nesta revista, os autores concedem à Ler História e ao seu editor (ISCTE-IUL) os direitos exclusivos de publicação, distribuição e reprodução dos seus artigos, incluindo os resumos. Isto permite-nos garantir a protecção total dos copyrights e a ampla difusão dos artigos, em papel ou em suporte digital. A publicação ou reprodução posterior, por terceiros, de qualquer artigo, no todo ou em parte, carece de autorização prévia do editor.

  8. Após a publicação, os autores receberão um exemplar impresso do número da revista e uma cópia digital (PDF) do seu artigo.

Materiais aceites para publicação

Podem ser submetidos à Ler História materiais de características diversas, consoante a secção a que se destinam:

Artigos (Geral) – artigos predominantemente baseados em investigação original (7500-10000 palavras).

Espelho de Clio – estudos ou ensaios sobre temas de natureza historiográfica (5000-10000 palavras).

Em Debate – recensões alargadas (duas ou mais obras), ensaios bibliográficos, mesas-redondas, artigos de opinião sobre temas de actualidade (3000-7500 palavras).

Recensões – de um único livro, publicado há menos de dois anos, em qualquer língua, dando-se prioridade a temas de maior relevância (1200-1500 palavras).

A Ler História também publica “Dossiers”, que são conjuntos de 3 ou 4 artigos com unidade temática, especialmente organizados para a revista. Os organizadores deverão começar por submeter uma proposta de dossier (ver aqui o modelo).

Todas as indicações sobre a dimensão mínima e máxima dos textos, acima apontadas, referem-se à totalidade do manuscrito submetido, incluindo texto, resumos, notas e bibliografia.

Normas de estilo

  1. Resumo e palavras-chave: Com excepção das recensões, todas as propostas devem incluir um resumo (até 150 palavras) e palavras-chave (entre 4 e 6) em Português, Inglês e Francês, e ainda em Espanhol se for essa a língua de publicação.

  2. Secções: O texto deve estar dividido em secções (máximo 6, incluindo a introdução e a conclusão). Com excepção da Introdução, todas as secções são numeradas e com título (máximo 1 linha). Sub-secções não são admitidas.

  3. Notas de rodapé: Número máximo entre 40 e 50, proporcionalmente à dimensão do texto (7500 a 10000 palavras). Nenhuma pode ter mais do que 500 caracteres. Não podem conter citações. A regra é poucas notas e curtas, usadas principalmente para citar fontes.

  4. Sistema de referências: De tipo autor-data, baseado no modelo Chicago, mas com ligeiras adaptações (ver ficheiro modelo).

  5. Lista de referências: Colocar no final uma lista completa de todas as referências citadas, e só essas, incluindo bibliografia e fontes impressas.

  6. Mancha gráfica: Parágrafos com mínimo 10 linhas, máximo 20 linhas.

  7. Citações curtas (<40 palavras): Inseridas no curso do texto, entre aspas, não-itálico. Recomenda-se parcimónia no uso de citações, sendo preferível, sempre que possível, substituir por paráfrases (sem prejuízo de citação da fonte).

  8. Citações longas (>40 palavras): Destacadas em parágrafo indentado, caracter 10, não-itálico, sem aspas. Recomenda-se parcimónia no uso destas citações e a sua utilização apenas para citar fontes primárias, não outros autores.

  9. Aspas: Sempre “aspas altas e curvas”.

  10. Chamada de notas: Sempre depois das aspas, do parêntesis e do sinal de pontuação.

  11. Formatos especiais: sublinhado e negrito não admitidos.

  12. Números: Por extenso até dez (ex três, oito), em numerais daí para a frente (exs 11, 35).

  13. Maiúsculas: Evitar sempre que possível utilizar maiúsculas (v.g. coroa, reino, rei, estado, etc.).

  14. Quadros e Figuras: Devem ser numerados separadamente e levar o respectivo título (ex. Quadro 1. Título do quadro). Indicar sempre as respectivas Fontes (por baixo, não em rodapé).

  • Logo ISCTE-IUL
  • Logo FCT
  • Revues.org